CASO BERNARDO | Edelvânia diz que abriu a cova onde corpo do menino foi enterrado e inocenta irmão

Foto: Márcio Daudt/ Divulgação

TJ-RS | Ao ser interrogada, Edelvânia Wirganovicz declarou que sua participação na morte de Bernardo Boldrini foi indicar e cavar a cova onde o corpo do menino foi enterrado. Ela inocentou o irmão.

O interrogatório foi suspenso, quando ela desmaiou no Plenário e recebeu atendimento médico.  Ao retornar, a acusada não respondeu mais nenhuma questão e o interrogatório dela foi encerrado.

Morte

Edelvânia e Graciele são amigas e já moraram juntas. Ela declarou em Plenário que acobertava um relacionamento que a madrasta de Bernardo tinha em Frederico Westphalen. Na sexta-feira,  dia em que Bernardo foi morto, Graciele teria um encontro com o amante. Mas disse à Leandro que ia para Frederico Westphalen comprar uma televisão. Teria sido o médico que mandou Bernardo ir junto com a madrasta.

Eles chegaram à cidade, entraram no carro de Edelvânia. A Assistente Social ficou com Bernardo na praça para que Graciele pudesse ir ao encontro.

Bernardo começou a surtar.  Graciele voltou, abriu a bolsa e deu remédios para ele. Colocamos ele no meu carro, e ele desmaiou.”

Nesse momento,  Edelvânia insistiu para levar o menino a um hospital,  mas Graciele não deixou. Ela queria ir na Delegacia, mas  foi ameaçada pela amiga.

Tu vai levar a culpa porque é pobre.” Disse também que a Enfermeira ameaçou a família dela.

Agência GBC

Em Agência GBC, você encontra notícias de Canoas, da região e do RS, prestação de serviço, áudios, vídeos e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *