CANOAS | Polícia Civil prende sete criminosos que assaltavam bancos, joalherias e roubavam carros

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Da redação | A Polícia Civil deflagrou nesta quinta-feira (6) a Operação Cartel em Canoas e Porto Alegre. O objetivo era desarticular uma organização criminosa que praticava roubos a bancos, joalheiras e veículos.

Segundo o delegado Thiago Lacerda, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), 19 pessoas foram investigadas. Eles atuavam nos dois municípios. O grupo criminoso participou de, pelo menos, dois roubos a bancos, 30 roubos de veículos, além de assaltos a residências e joalherias. Alguns desses crimes foram praticados em outras cidades gaúchas e também em Santa Catarina.

As investigações começaram ainda em 2016, depois que uma Hylux foi roubada no bairro Rio Branco. Na época, a polícia chegou em Anderson da Silva Santos, conhecido como Bozo, que era líder do grupo “tropa de choque”. O chefe, popularmente chamado de Minhoca, é José Dalvani Nunes Rodrigues que era responsável por todas as ações.

A operação foi realizada pela Polícia Civil com o apoio do Ministério Público (Foto: Jaime Zanatta/GBC)

Bozo era um dos alvos da operação, porém ele foi morto durante uma troca tiros no assalto a agência do Banco do Brasil na cidade de São João Batista, em Santa Carina, no ano de 2017. Na época, mais dois criminosos gaúchos que estavam sendo investigados foram mortos. Um farto armamento de grosso calibre foi apreendido. Anderson, além de coordenar os assaltos a bancos, ele também administrava seqüestros e roubos a residência, que eram mandados pelo Minhoca.

Na Região Metropolitana

Conforme a Polícia Civil, por aqui, os criminosos atuavam no roubo de veículos. Depois do crime, eles clonavam os veículos e os utilizavam para assaltar bancos e joalherias. “Eram com isso que eles faziam a roda girar. Além disso, eles também tem participação no tráfico de drogas e homicídios para ampliar o território”, comentou o delegado Mário Souza, diretor da 2ª Delegacia Regional de Polícia Metropolitana (DPRM) de Canoas.

Operação Cartel

Foram cumpridos sete mandados de prisão e nove de busca e apreensão nas duas cidades. Sete pessoas foram presas. Seis em cumprimento de ordem judicial e uma mulher em flagrante.

Seis presos serão submetidos ao reconhecimento pelas vítimas de roubos a carros (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Entre os presos está o Minhoca. Porém, como ele já está em um presídio federal, o criminoso seguirá detido. Outro alvo, foi o Douglas Gomes Sá, popularmente chamado de Faísca, que foi encontrado pelos policiais no bairro Mário Quintana, em Porto Alegre.

O delegado Lacerda esclareceu que o foco “é desarticular a organização criminosa, atingindo seu braço de crimes patrimoniais.” Já o diretor da 2ª DPRM, delegado Mário Souza, pontuou que “a principal vertente de combate ao crime é desmantelar as organizações criminosas organizadas e atingir o topo da hierarquia sendo que na data de hoje mais um mandado de prisão preventiva foi deferido em desfavor de um líder de facção se encontra recolhido em Penitenciária Federal”.

A ação foi realizada em parceria com o Ministério Público.

Agência GBC

Em Agência GBC, você encontra notícias de Canoas, da região e do RS, prestação de serviço, áudios, vídeos e muito mais.