CRIME BÁRBARO | MP denuncia dupla que matou pai e filho em joalheria de Estância Velha

Da redação | O Ministério Público denunciou nesta sexta-feira (07) por latrocínio Rafael dos Santos Domingues, 19 anos, e Davi dos Santos Mello, 20 anos. Os dois mataram Leomar Jacó Canova e Luis Fernando Canova, pai e filho, para roubar itens do estabelecimento comercial Elaine Óptica e Joalheria, em Estância Velha.

A denúncia foi assinada pelo promotor de Justiça Bruno Carpes, que solicitou medida cautelar para que seja coletado material genético dos dois, além do também denunciado Maximiliano Staehler Rolim, para inserção na Rede Integrada de Perfis Genéticos do Ministério da Justiça. A medida pleiteada também é no sentido de que sejam comparados os materiais genéticos dos acusados com o do colhido em um dos automóveis utilizados para a fuga.

Maximiliano Rolim, Rafael Domingues e Davi Mello são denunciados por receptação e adulteração de sinal identificador de dois veículos roubados. Cassineli Pimenta, 35 anos, e Sheila Viviane Dutra, 36 anos, são denunciadas por receptação de objeto roubado – um pingente roubado da loja. Cassineli também deverá responder criminalmente por favorecimento pessoal, ao auxiliar a esconder os criminosos durante as buscas policiais.

O LATROCÍNIO

No dia 10 de abril, Rafael e Davi, armados, ingressaram na joalheria e anunciaram o assalto. Jacó e Luis Fernando foram rendidos por Davi em um cômodo aos fundos, enquanto que Elaine (esposa e mãe das vítimas, além de proprietária da loja) e uma funcionária, sob ameaça de Rafael, colocaram joias avaliadas em aproximadamente R$ 350 mil em uma sacola.

A denúncia narra que, em seguida, “durante os atos de execução, e com desígnios autônomos, instigando-se mutuamente e prestando auxílio recíproco, de modo a evitar qualquer reação que obstasse a consumação do delito, efetuaram disparos de armas de fogo contra as vítimas Leomar Jacó Canova e Luis Fernando Canova, cujos ferimentos ocasionaram as suas mortes”.

Os dois fugiram em um Honda City que sabiam ser roubado em Porto Alegre em janeiro deste ano, por indivíduos não identificados. O veículo foi abandonado em Novo Hamburgo momentos depois. Ainda, juntamente com Maximiliano Rolim, utilizaram um segundo veículo, um Ford Focus que fora roubado em março, em São Leopoldo, e foi abandonado instantes depois, contendo em seu interior o aparelho celular de Maximiliano, localizado pela autoridade policial.

Eles se refugiaram na residência de Cassineli, onde também se encontrava Sheila. Ambas receberam e ocultaram um pingente que, depois, foi reconhecido como produto roubado da joalheria.

*Com informações do Ministério Público Estadual

Agência GBC

Em Agência GBC, você encontra notícias de Canoas, da região e do RS, prestação de serviço, áudios, vídeos e muito mais.