Foto: Divulgação

Na terça-feira, 21 de janeiro, o Grupamento de Defesa Ambiental, da Guarda Civil Municipal foi acionado para resgatar uma serpente, da espécie jararaca, em um terreno de uma casa no bairro Campina. No mesmo dia também foi resgatado um gambá no bairro São Borja, um morador solicitou apoio do GDA. Ambos os animais foram soltos em uma área de preservação permanente (app) no bairro Morro do Paula.

Em uma semana esta é a segunda jararaca resgatada em área urbana da cidade, a primeira foi no bairro Duque de Caxias. A jararaca é uma serpente venenosa sua picada causa muita dor e edema no local lesionado. Esses animais alimentam-se principalmente de pequenos roedores, sapos e lagartos.

O inspetor responsável do GDA, Nilton César de Oliveira, lembrou que o zoológico não recebe mais estes animais. “O zoológico não recebe mais os animais  desde que iniciou o processo de privatização. Então realizamos a soltura em espaços de app do município, ou encaminhamos para Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Ibama”, salientou.

De acordo com o inspetor o habitat desses animais silvestres é a mata e aparecem na cidade porque há uma diminuição das áreas ambientais. “Eles estão perdendo o espaço e por isso acabam entrando nas cidades”, salientou Oliveira.

Capacitação

Oito agentes do GDA participaram de uma capacitação promovida em parceria com a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul sobre captura e manejo de animais silvestres. O foco da instrução envolveu a lida com serpentes, onde os participantes conheceram instrumentos e técnicas necessárias para a contenção dos bichos.