PC

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | Nesta segunda-feira (22), foi deflagrada pela Polícia Civil a Operação All In em combate ao tráfico interestadual de drogas e armas. A ação ocorreu em conjunto com as Polícias Civis de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Dezesseis pessoas foram presas e armas foram apreendidas.

O ponto de partida da investigação foi a apreensão de aproximadamente duas toneladas de maconha, na cidade de Garopaba, no início do ano. Na Data foram apreendidos diversos veículos de luxo e cerca deR$80 mil.

Em parceria com a Delegacia de Polícia Civil de Garopaba, a investigação da 1ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico identificou 46 integrantes de uma organização criminosa atuante em diversos estados no tráfico de drogas e comércio de armas.

Conforme apurado, em quatro meses, a organização negociou drogas, totalizando um valor de R$ 2 milhões e negociou armas de fogo de calibres restritos, entre elas, fuzil 762 e pistolas .40.

Cerca de 200 policiais civis cumpriram 98 ordens judiciais entre mandados de prisão e busca e apreensão, nos três estados. No Rio Grande do Sul, 31 ordens judiciais foram cumpridos em Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha, Gravataí e Passo Fundo. Ao todo, 23 presos.

A investigação e as ação foram coordenadas pelo delegado de Garopaba/SC, Walter Figueiredo Loyola, e pelo titular da 1ª DIN/Denarc, delegado Guilherme Calderipe.

O Diretor de Investigações do Denarc, delegado Mario Souza explica que foi um trabalho complexo onde a atuação conjunta das equipes de investigações foi fundamental.

Souza explica que no esquema chamou atenção a opção dos traficantes por escolherem o Litoral Catarinense por ser um lugar longe de grandes movimentações, bem como a estratégia dos criminosos na compra das drogas.

O delegado Calderipe esclarece que “As investigações de narcotráfico apuraram a existência de complexo esquema de encomenda, plantação, transporte e distribuição de drogas envolvendo diversos estados da federação, liderado por traficantes gaúchos e catarinenses”.

*Com informações da Polícia Civil