Foto: Câmara de Vereadores de Canoas/Divulgação

Da redação | O vereador Paulinho de Odé perdeu o mandato na Câmara de Canoas por infidelidade partidária. A decisão foi da Justiça Eleitoral.

O parlamentar foi eleito pelo Partido dos Trabalhadores (PT) que foi o autor da ação judicial. Em abril, ele saiu para concorrer como deputado pelo PCdoB. Ele acabou não se elegendo, fazendo pouco mais de 12 mil votos.

A janela aberta pelos deputados neste ano para a troca de legendas (de 6 de março a 6 de abril) não se aplicava a parlamentares municipais. Nas redes sociais, o ex-vereador afirmou que foi para o PCdoB sabendo que não havia janela aberta para migração, mas que havia um acordo com o PT para que não questionassem a situação na Justiça. “Saí de um partido sem estar aberta a janela e assumi os riscos”, comentou.

De acordo com a Justiça Eleitoral de Canoas, no lugar do vereador cassado deveria assumir o primeiro suplente eleito pelo PT, DJ Cabeção, que migrou para o PDT na mesma época em que Jairo Jorge também havia migrado.

O PT agora está recorrendo da decisão para informar que, como Cabeção não é mais petista, quem deve assumir é Paulo Ritter, o segundo suplente e ainda filiado ao partido.