Prefeitura de Sapucaia do Sul/ Divulgação

Foto: Prefeitura de Sapucaia do Sul/Divulgação

Da redação | Os médicos concursados e prestadores de serviço do Hospital Getúlio Vargas, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sapucaia do Sul e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), vinculados a Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV), entram em greve a partir das 7h da próxima sexta-feira (07), por tempo indeterminado. A decisão unânime ocorreu em assembleia geral, realizada na sede do Sindicato Médico do RS (Simers) na noite da última quinta-feira (29).

assembleia simers sapucaia
Na cidade, cerca de 130 médicos devem parar (Foto: Gabriel Tubino/Simers)

Durante a greve, atendimentos ambulatoriais e eletivos param. Na emergência, serão atendidos apenas casos graves (fichas laranjas e vermelhas). Conforme o sindicato, os médicos atingiram o limite da tolerância com a situação, pois convivem com o atraso salarial de dois meses e sem perspectiva de receber o 13´ salário.

Segundo os profissionais, a gestão da FHGV fez a opção por pagar na integralidade os salários e honorários dos demais trabalhadores e nada aos médicos.  Apesar disso, os especialistas cumprem o dever de atender a população de forma plena. Na cidade, cerca de 130 médicos devem parar.

Em reuniões entre o Simers e o diretor geral da Fundação, Gilberto Barichello, foi dito que a escolha de não pagar os médicos ocorre por “justiça social” – ou seja, pelo fato dos médicos terem salários mais altos e possuírem, geralmente, mais de uma fonte de renda.  “Agindo assim, o diretor discrimina a categoria, pois não reconhece que o médico deve receber pelo seu trabalho. Isso é inaceitável. Traz para a fundação e prefeitura a pecha de fazer uma política discriminatória que contraria a constituição federal”, salienta Clarissa Bassin, diretora do Simers.

Diante do quadro, o Simers notificará o Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), as secretarias Municipal e Estadual da Saúde, prefeitura de Sapucaia do Sul e ao Conselho Regional de Medicina (CREMERS).