Foto: Jaime Zanatta/GBC

Foto: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | O Grupo de Apoio à Medicina Preventiva (Gamp) segue realizando os atendimentos neste sábado (8) nos hospitais Universitário (HU) e de Pronto Socorro (HPSC) além de duas unidades de pronto atendimento e quatro Centros de Atendimento Psicossocial (Caps), em Canoas, na Região Metropolitana. Na sexta-feira (7) a justiça determinou que a prefeitura assumisse imediatamente os serviços.

O juiz Marcelo Lesche Tonet atendeu a um pedido feito pelo Ministério Público (MP) na última quarta-feira (5). Na data, o MP encaminhou uma ação para afastar a empresa suspeita de fraude e desvio de dinheiro público.

A prefeitura alegou que não foi notificada oficialmente da decisão. Conforme a assessoria do Tribunal de Justiça (TJ), os oficiais de plantão de Canoas não têm mandado para cumprir neste final de semana. A tendência é de que o município seja comunicado somente na segunda-feira (11) e que, até lá, o Gamp siga realizando os serviços.

Como vai ser

A prefeitura informou que já está estudando as formas para gerir os serviços terceirizados. A tendência é que os funcionários da empresa sejam mantidos, mas sob responsabilidade da prefeitura. O período de intervenção seria de 90 a 120 dias, até que uma nova licitação seja feita.

Por enquanto, seguem suspensos os atendimentos eletivos. Essa medida, segundo a prefeitura, já estava sendo adotada em função dos atrasos nos repasses do Estado. As urgências e as emergências seguem sendo atendidas em Canoas.

Motivo da Operação

Conforme o MP foram detectadas diversas irregularidades. Entre elas, estão o superfaturamento de medicamentos em até 17.000%, a utilização de laranjas e testas de ferro do chefe do esquema na direção do Gamp, além do pagamento de viagens de férias com dinheiro público da saúde de Canoas.

Durante a operação, foram presos Michele Aparecida da Câmara Rosin, atual presidente do Gamp, Cássio Souto Santos, médico que participou da fundação do grupo e é considerado o principal nome da entidade e Marcelo Bósio, ex-secretário da Saúde de Canoas e que participou do processo de contratação do Gamp.