Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Da redação | Jonatas Gomes de Melo admitiu que espancou o enteado de 2 anos até a morte na última quarta-feira (5) em Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo. O padrasto foi preso na casa de uma tia, na sexta-feira (7) em Santa Cruz do Sul. A vítima foi identificada como Enzo Gabriel Quintana Dilenburg.

FIM DA LINHA | BM prende suspeito de matar enteado de 2 anos

Conforme a delegada Raquel Schneider, que está responsável pelo caso, o preso não lembrava direito o que tinha acontecido. “Ele contou que tinha consumido álcool, cocaína e rivotril. Depois, falou que bateu na cabeça da criança com as mãos, alegando apenas que não queria matar a criança”, relatou. Agora, os investigadores procuram saber se o acusado usou algum instrumento no crime.

Segundo a delegada, o preso disse que acordou no meio da madrugada e começou a agredir a vítima. “Ele afirmou que o Enzo nem chorou e que depois das agressões voltou a dormir. No final da madrugada ele acordou para ir ao banheiro, percebeu que a criança estava com o corpo gelado, acordou a mulher e fugiu”.

Melo negou que agrediu a vítima anteriormente.

Relatos da mãe

Horas antes da prisão do padrasto, a mãe da criança foi escutada novamente pela polícia. De acordo com a delegada, ela manteve a versão inicial de que teria encontrado o menino desacordado no berço.

Porém, ela relatou novos detalhes sobre a relação do acusado com a vítima. “Ele teria batido no menino uma vez, e que ela se colocou na frente do padrasto, apanhando também”.

Próximos passos

Agora, os investidores da Delegacia de Encruzilhada do Sul se preparam para ouvir o irmão mais velho de Enzo. A polícia não tem informações se o menino de seis anos também foi agredido pelo padrasto.