Da redação | No dia 18 deste mês, os desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça gaúcho irão julgar o recurso da defesa de Juliano Vieira Pimentel de Souza, 32 anos, que confessou ter estuprado e assassinado Naiara Soares Gomes, 7, em Caxias do Sul.

Souza responde pelos crimes de estupro de vulnerável, homicídio triplamente qualificado (por asfixia, com recurso que dificultou a defesa da vítima e para assegurar a impunidade de outro crime) e ocultação de cadáver. Caso condenado pelos três crimes, a pena pode chegar a 38 anos de reclusão.

Os desembargadores devem decidir se o acusado irá ou não a júri popular. Os defensores públicos do autor não querem que ele seja submetido. A juíza Milene Fróes Rodrigues Dal Bó, da Vara de Execuções Criminais (VEC) de Caxias do Sul, haviam determinado, em sentença de primeira instância, que Souza deveria ser submetido ao Tribunal do Júri pelos crimes.

Preso em 21 de março, Souza está em isolamento na Penitenciária Estadual de Canoas 2 (Pecan 2).

O corpo da menina, desaparecido desde 09 de março, foi encontrado no dia 21 do mesmo mês próximo à Represa do Faxinal, em Caxias do Sul. Após ser detido pela polícia, Souza confessou o crime.