Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Da redação | Em Canela, policiais da Brigada Militar estão tendo entender o que levou Christian Roman Marinho de 32 anos a trocar a farda de soldado para a participação em uma quadrilha. Ele foi um dos responsáveis pelo ataque a moradias na localidade de Mato Perso, na Serra.

Christian foi morto em confronto com colegas da Brigada Militar (BM) na última quarta-feira (12). Ele era natural de Porto Alegre e trabalhava em Canela há pelo menos dois anos. Na BM desde 2009, ele se formou em Alvorada no 24° BPM, onde também trabalhava outro brigadiano detido na operação por participação na quadrilha.

Marinho estava afastado da BM há um mês devido a problemas de saúde. No entanto, seguiu mantendo contato com a corporação e permanecia nos grupos de WhatsApp do batalhão. Assim, ele sabia de todos os passos do cerco policial, que durou mais de 38 horas, e ainda das estratégias e movimentações da equipe durante as buscas.

Segundo o tenente-coronel Wagner, o cerco foi encerrado após o resultado da noite. Ao todo, três assaltantes, que cometeram o assalto em Mato Perso, no limite de Flores da Cunha e Farroupilha, foram mortos em confronto com a BM. A ação ocorreu na BR-116, em Nova Petrópolis, próximo à Linha Temerária. Eles estavam escondidos em um matagal desde a terça-feira.

Marinho era casado e deixa um filho.