Foto: Brigada Militar/Divulgação

Da redação | Um policial militar foi morto por colegas da Brigada Militar (BM) na última quarta-feira (12) durante um cerco na BR-116, entre Nova Petrópolis e Caxias do Sul, na Serra. Ele é suspeito de integrar uma quadrilha de assaltantes e estava escondido em um matagal depois de participar do roubo de mais de R$ 500 mil de três residências na última terça-feira (11).

O policial foi identificado como Christian Roman. Ele estava afastado do trabalho por problemas psicológicos. Outros dois homens, ainda não identificados, foram mortos no cerco.

Não era o único

Um segundo PM, que também faria parte da quadrilha, foi preso no mesmo cerco. Conforme a BM, Diego Mangia, lotado em Alvorada, seria o responsável por resgatar os bandidos, que estavam escondidos na mata. No celular dele, teriam sido encontradas informações sobre o roubo e o paradeiro dos outros membros da quadrilha. Além dele, outro homem e duas mulheres foram presos na ação.

O grupo estava sendo procurado desde terça-feira, quando fizeram reféns durante um assalto na localidade de Mato Perso. Ainda na terça, foram recuperadas 10 armas de fogo e uma mala com mais de R$ 548 mil que foram abandonadas pelos assaltantes.

A Brigada Militar diz que há parte da quadrilha que fugiu ainda na terça e não se sabe o paradeiro.

O assalto

Conforme informações da BM, quatro bandidos armados e vestidos como policiais militares renderam o morador da residência em Mato Perso. Foram roubadas uma grande quantia em dinheiro e três espingardas. Na sequência, os assaltantes atacaram uma segunda moradia e roubaram outras duas armas de fogo e um celular.

O morador da primeira casa assaltada foi levado como refém, mas liberado na estrada momentos depois. Na fuga, os criminosos atearam fogo a um veículo Corsa.

O grupo seguiu a fuga em dois automóveis: um Ka, que seria das vítimas, e em um Corolla preto que, segundo a BM, havia sido furtado em Alvorada na manhã da terça-feira. Este veículo foi abandonado em uma estrada vicinal de Vila Cristina, que foi o ponto de início das buscas no matagal.