Foto: Marcelo Pola/ Rádio Miriam Caravaggio

Foto: Marcelo Pola/ Rádio Miriam Caravaggio

Da redação | A mulher de 68 anos que sofreu queimaduras em mais de 80% do corpo segue internada no Hospital Unimed, em Caxias do Sul. A idosa é moradora do apartamento onde ocorreu uma explosão seguida de incêndio na manhã desta quarta-feira (26), na área central de Farroupilha.

De acordo com o hospital, a paciente encontra-se da UTI da casa de saúde e seu estado é considerado grave por conta da extensão das queimaduras, que também atingiram as vias respiratórias.

A mulher foi encaminhada primeiramente ao Hospital São Carlos, que fica próximo ao local da explosão. Após, houve a transferência de local. Outras 13 pessoas procuraram o hospital por terem inalado fumaça, mas já foram liberadas.

A causa da explosão seria o vazamento de gás, combinado com o acendimento de uma lâmpada. A explosão foi suficiente para derrubar blocos de concreto, que caíram em cima de um carro. Pedestres que passavam pela esquina onde fica o prédio também foram atingidos pelos destroços.

O prédio não tinha alvará
Conforme o comandante do 5º Batalhão de Bombeiro Militar, tenente-coronel Julimar Fortes Pinheiro, o processo de obtenção do alvará ainda não estava concluído, portanto, o documento sequer foi emitido.

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) realizou uma vistoria no local nessa quarta-feira. Não há risco do prédio desabar, segundo garante o engenheiro responsável pela obra do edifício, que tem rede de gás central própria.

Imagens: Marcelo Pola/ Rádio Miriam Caravaggio