Foto: RGE/Divulgação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prorrogou a proibição de corte no fornecimento de energia elétrica até o dia 30 de setembro. A medida é para pessoas de baixa renda e também para casas com usuários de equipamentos de autonomia limitada.

Mesmo sem o corte no fornecimento, quem não pagar em dia está sujeito a cobrança de juros. Segundo a Aneel, no entanto, a medida não resultou em inadimplência durante a primeira onda de coronavírus. Em fevereiro, foram 5,2% de devedores, quando antes da pandemia a parcela era de 7%.

Aumento de 20%

Até junho novos valores serão praticados na conta de energia elétrica. A agência deve subir o valor cobrado na bandeira vermelha patamar 2 para 20% do valor cobrado atualmente. Este é o patamar que o Brasil está neste mês de junho e que deve continuar até o final do ano.

No patamar 1, a bandeira vermelha deve subir em torno de 10%. Os valores, no entanto, ainda serão definidos pela Aneel. A justificativa é que existe uma grande seca nos principais reservatórios de usinas hidrelétricas, o que gera um custo maior de produção.