Foto: Jaime Zanatta/GBC

Vai começar a sair do papel na próxima terça-feira (26) a privatização do Trensurb. Nesse primeiro momento, serão conhecidas as empresas interessadas em participar de um estudo sobre o tema.

Os envelopes serão abertos na terça. As duas empresas que vencerem a concorrência vão elaborar propostas econômico-financeira e econômico-financeira e serviços jurídicos que servirão de base para o edital que prevê privatizar a Trensurb. Elas terão prazo de três anos para concluir as análises solicitadas.

A Trensurb foi incluída no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI) e no Programa Nacional de Desestatização (PND) após um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em setembro.

Antes disso, em maio, o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (CPPI) avaliou que o serviço oferecido pela Trensurb precisa ser qualificado. Também precisa passar por uma expansão da “qualidade da infraestrutura pública”.

Licitação foi suspensa

A licitação chegou a ser suspensa pela 16ª Vara Federal do Rio de Janeiro. A liminar atendeu ao pedido de uma ação popular que questiona a legalidade do edital. Porém, o desembargador Poul Erik Dyrlund, do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro, deferiu efeito suspensivo a essa decisão.