Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Policiais civis da Delegacia de Polícia de Guaíba, coordenados pela delegada Karoline Calegari, tiveram o apoio da Companhia Especial de Busca e Salvamento (CEBS) do Corpo de Bombeiros, munidos de cães farejadores, para a localização do corpo do motorista de aplicativo Rafael do Nascimento da Silva, 31 anos. As buscas foram realizadas com a utilização de equipamentos de grande porte cedidos pela Coordenadoria Operacional da Corsan de Guaíba.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

O cadáver foi encontrado na manhã desta quinta-feira (19) em uma cova profunda, em uma área conhecida pelo Prainha, no bairro Ipê, às margens do Guaíba. O caso está sendo investigado sob sigilo.

De acordo com a delegada, a hipótese é de homicídio seguido de ocultação de cadáver. A linha investigativa aponta o possível envolvimento da vítima com o tráfico de drogas.

Conforme a polícia, ele estava desaparecido desde o dia 6 de fevereiro, após sair da casa de amigos, dizendo que faria uma corrida para a Região Metropolitana.

Segundo as investigações, desde então, o último contato mantido pelo motorista foi em um grupo de motoristas de aplicativo, em que teria postado a mensagem “off”, às 00h52min do dia 7, dando a entender que teria encerrado suas atividades naquela noite.

De acordo com o que foi apurado no inquérito, a corrida para Canoas, que não chegou a acontecer, seria particular, chamada usualmente pelos motoristas de aplicativo de “PF”, ou seja, corrida por fora, sem relação com empresa de aplicativo.