FOTO: Vinicius Thormann/Prefeitura de Canoas

FOTO: Vinicius Thormann/Prefeitura de Canoas

Da redação | Uma idosa de 78 anos ficou mais de 28 horas aguardando a liberação de um leito no Hospital de Pronto Socorro de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Ela conseguiu recursos para realizar um procedimento cardíaco de urgência com uma determinação da Justiça.

Conforme relato da família da idosa, a decisão judicial obrigou a Prefeitura de Canoas a providenciar uma cirurgia para tratar a doença diagnosticada como dissecção aórtica tipo A. A espera da idosa começou na terça-feira (17) e terminou só na noite de ontem (18).

O juiz de direito plantonista Cristiano Vilhalba Flores determinou a internação imediata da paciente Theresinha Adelia Garcia em uma unidade do SUS ou, em uma instituição particular, à custa dos cofres públicos. A decisão ainda obrigava o poder público a providenciar transporte.

Segundo o filho da paciente, Reinaldo Garcia Pereira, chegou a ser cogitada uma transferência para o Hospital Universitário. Porém, a instituição afirmou não ter condições para atender a complexidade do caso.

A secretária municipal de saúde, Rosa Groenwald, confirmou a situação e disse que foi autorizada a transferência para um hospital de Porto Alegre. A paciente deixou o HPS de Canoas no fim da noite em uma ambulância do Samu para ser internada no Hospital da PUC.

Histórico do caso

A idosa procurou atendimento na quarta-feira (10) com uma suspeita de infarto, mas foi liberada 24h depois. Na sexta-feira (13), ela retornou ao HPS de Canoas, após consultar um cardiologista que alertou a gravidade do caso. Desde então, ela aguardava um leito.