FOTO: Ulbra/Divulgação

FOTO: Ulbra/Divulgação

Da redação | Funcionários da Universidade Luterana do Brasil estão com os salários atrasados há dois meses em todo o Rio Grande do Sul. Segundo relato de um grupo de trabalhadores, desde junho o salário é parcelado.

Apenas um total de R$ 1 mil referente aos salários de setembro foi pago, sendo que o dia de vencimento é o quinto dia útil do mês. Já os salários de outubro, que deveria ter sido depositado até a última quarta-feira (8), ainda não entrou nas contas. O atraso dos vencimentos atinge trabalhadores de todas as áreas da universidade.

Funcionários contam que a universidade prometeu quitar os salários de setembro e pagar 30% dos salários de outubro na última quarta, mas que o pagamento não foi feito.

O que diz a Ulbra

A Ulbra confirmou, por meio de nota, que o pagamento previsto para quarta não pôde ser feito porque houve atraso nos depósitos referentes ao Fundo de Financiamento Estudantil, de responsabilidade do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, ligado ao Ministério da Educação. A universidade ainda informou que “todas as medidas institucionais possíveis para a concretização mais rápida desta previsão já estão sendo adotadas, e assim que confirmada a previsão, serão efetuados os pagamentos previstos de forma imediata”.

A folha de setembro foi integralizada apenas para 25% dos funcionários que recebem até R$ 1 mil. A universidade informou ainda que os funcionários da educação básica tiveram os salários quitados.

O que diz o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

O FNDE não atendeu as nossas ligações.