Templo onde crianças teriam sido trazidas para ritual satânico.

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira detalhes sobre o ritual satânico envolvendo duas crianças, que foram esquartejadas e tiveram suas partes localizadas na Lomba Grande, em Novo Hamburgo, no ano passado. Sete pessoas estão envolvidas no crime brutal, sendo que quatro estão presas e outras três seguem foragidas.

a7a841ea-0e68-470b-b5b4-f5e6ca801a1f

Entre os investigados, está o líder do grupo, Sílvio Fernandes Rodrigues, que se denomina “bruxo” e que teria executado o ritual com o sacrifício. Ele havia sido preso em 27 de dezembro. De acordo com o delegado Moacir Firmino, da 2ª Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo, ele é renomado na área, tendo percorrido diversas partes do mundo.

Além dele, entre os capturados pela polícia, está o homem que teria encomendado o ritual satânico, em busca de prosperidade nos negócios. Seu filho está detido, que também teria participado do ritual no templo, localizado em Gravataí. Na última sexta-feira, houve a prisão do quarto indivíduo.

Conforme o delegado Firmino, as crianças, um menino com idade entre oito e 10 anos e uma menina entre 10 e 12, seriam de Corrientes, na Argentina, e teriam sido trocadas por traficantes em um caminhão roubado, para depois serem sacrificadas em ritual encomendado por sócios de uma empresa do ramo imobiliário de Novo Hamburgo. As crianças teriam sido alcoolizadas e depois decapitadas.

No templo satânico, a Polícia Civil apreendeu capa e máscara, usadas pelo bruxo no ritual, além de documentos que comprovariam as atividades de Rodrigues.