Foto: Polícia Civil

Da redação | Agentes da Polícia Civil descobriram nesta sexta-feira (12) que o imóvel do templo satânico, localizado em Gravataí, palco de ritual relacionado à morte de duas crianças que foram esquartejadas, tinha uma ligação de energia elétrica clandestina. A ação da polícia também acarretou na prisão de Aline Mello, mulher de Sílvio Fernandes Rodrigues, 44 anos, líder do templo, por furto de energia.

Além de policiais do Departamento de Investigações Criminais (Deic), dois técnicos da RGE foram ao local para desfazer a ligação irregular, que consistia na conexão de dois fios ligados diretamente ao poste da rua. Conforme a concessionária, nenhuma solicitação de energia elétrica foi feita. A mulher foi presa em flagrante.