Da redação | O empresário Paulo Ademir Norbert da Silva, 58 anos, negou à polícia nesta quarta-feira participação no caso do ritual satânico que teria resultado na morte de duas crianças, encontradas com os corpos esquartejados, em setembro do ano passado, em um mato no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo. Durante depoimento na Delegacia de Homicídios do município, ele também disse não conhecer a maioria dos suspeitos do crime.

Norbert da Silva foi preso no último sábado na praia de Quintão, no Litoral Norte. Ele é suspeito de encomendar o ritual, junto com o sócio Jair da Silva, 47 anos, também já preso. Ambos teriam pago R$ 25 mil ao “bruxo” Sílvio Fernandes Rodrigues, 44, para que realizasse o ritual com objetivo de atrair prosperidade aos negócios imobiliários.