FOTO: Internet/Reprodução

Da redação | O gosto e o cheiro de terra sentidos por consumidores ao abrir a torneira em municípios da Região Metropolitana como Canoas e Cachoeirinha é provocado, conforme a Corsan, pela multiplicação de algas.

Em nota, o órgão estadual sustenta que a “proliferação das algas deveu-se à combinação da incidência de sol, ao calor, à presença de nutrientes e ao movimento mais lento da água no manancial. A captação da água bruta servida a bairros de Canoas e Cachoeirinha é realizada no Arroio das Garças, localizado em Canoas. Com a estiagem da última semana, o nível do arroio diminuiu, fazendo com que a água do Guaíba entrasse no leito do arroio, misturando as águas.”

Para minimizar o efeito sobre o líquido, a Corsan informa que aumentou a dosagem de carvão ativado na água da estação de tratamento,  o que ajuda a reduzir o gosto de terra. A expectativa dos técnicos é de que, com as chuvas dos últimos dias, o sabor e o cheiro desapareçam gradativamente.