Foto: Jaime Zanatta/GBC

FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | O Procon do Rio Grande do Sul decidiu multar a Trensurb por causa do aumento de 94% no valor da passagem ocorrido há pouco mais de um mês. O valor arbitrado é de R$ 541,7 mil.

Segundo a diretora do Procon, Maria Elizabeth Pereira, o valor da multa tem um caráter pedagógico já que a Trensurb é uma empresa pública que não tem a intenção de auferir lucro. Em razão disso, o valor foi definido com base em três fatores de uma resolução de aplicação de multas que envolve a gravidade da infração, a condição econômica de grande porte do fornecedor e a vantagem auferida considerando o número de clientes. O valor de R$ 541,7 mil corresponde a menos de um dia de trabalho do Trensurb, que atende 180 mil passageiros por dia.

O processo administrativo foi aberto em fevereiro para investigar o reajuste. A tarifa subiu de R$ 1,70 para R$ 3,30 depois de 10 anos sem alteração no preço do bilhete. A inflação acumulada neste período chegou a 79%. Em maio do ano passado, a Trensurb encaminhou um estudo ao Ministério das Cidades e ao Ministério do Planejamento pedido um reajuste de 47%, o que levaria a tarifa para R$ 2,50.

A Trensurb será notificada nesta terça-feira (6). Se não quiser pagar a multa, a empresa pública poderá assinar um termo de ajustamento de conduta (TAC) onde se compromete a reduzir o valor a passagem para um valor entre R$ 2,50 e R$ 3.

Caso não concorde com a decisão, a empresa terá 10 dias para apresentar recurso. A partir daí, o processo administrativo será analisado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, trabalho, Justiça e Direitos Humanos.

Após a decisão definitiva, a Trensurb terá 30 dias para pagar a multa. Caso a multa não seja paga, a empresa poderá ser inscrita na dívida ativa, o que inviabilizaria, por exemplo, que possa tomar empréstimo.