Foto: Neiva Motta/ Susepe

Da redação | Um ofício encaminhado pela Prefeitura de Canoas ao Governo do Estado cobra providências relacionadas à Penitenciária Estadual de Canoas (Pecan). O Município notificou o Piratini a respeito de um convênio firmado. Segundo o texto, o motivo é a não instalação de bloqueadores de telefones celulares e a não criação de uma companhia da Brigada Militar para resguardar o entorno da Pecan, sem a retirada de efetivo do 15º Batalhão de Polícia Militar (15º BPM).

“Foram compromissos assumidos pelo Estado com o Município de Canoas e com a sua população”, destacou o secretário Municipal de Segurança Pública, Ranolfo Vieira Jr.

O Estado ainda não respondeu a Prefeitura de Canoas. O Município deve oficiar também o Ministério Público e o Poder Judiciário. Os esforços da administração são para a realização total dos itens do convênio, a fim de que a segurança para os munícipes esteja garantida.

Pendências notificadas pela Prefeitura de Canoas:

– Falta a instalação até o presente momento de fração da Brigada Militar responsável pela segurança do Presídio e seu entorno, sem a retirada do efetivo do 15º BPM;
– Falta a instalação dos bloqueadores de telefones celulares no interior do estabelecimento prisional;
– Providências para garantia de ocupação de cada módulo pelo perfil dos apenados, com triagem adequada;
– Providência para garantia do número adequado de agentes penitenciários para atender a demanda do complexo;
– Providência para não permitir a superlotação, observando o limite de cada módulo e infraestrutura;
– Manter o objetivo de recuperar os presos, proporcionando trabalho aos condenados.