FOTO: Luisa Biondo/Prefeitura de Garibaldi

Da redação* | A Semana Santa organizada pela Paróquia São Pedro de Garibaldi novamente reuniu grande público. Foram doze celebrações, desde o dia 25 de março, cada uma preparada com uma motivação especial.

Conforme o Pároco, Frei Jadir Segala, “Os jovens, as crianças, os idosos, cada um dos públicos teve seu momento para renovação da fé. No total, estimamos que cerca de vinte mil pessoas participaram nesses dias, desse que é o verdadeiro Retiro Espiritual de nossa Paróquia. Contamos com o envolvimento de cerca de quatrocentos voluntários, somando todas as etapas”, finaliza Segala.

FOTO: Luisa Biondo/Prefeitura de Garibaldi
FOTO: Luisa Biondo/Prefeitura de Garibaldi

A organização das Encenações de Quinta-feira, Sexta e Sábado Santos, além da Noite Penitencial, ficou a cargo do Movimento Emaús de Garibaldi, como acontece há 19 anos. Foi responsabilidade dos jovens representarem os últimos momentos da vida de Cristo, desde a Conspiração contra Jesus, sua passagem pelo Jardim do Getsêmani, quando Jesus começou a sentir medo e angústia; o momento em que Judas o entrega em troca de 30 moedas, e depois se arrepende; a Prisão de Jesus; a negação de Pedro; seu julgamento perante os Sacerdotes Judeus, Pilatos e, depois, Herodes; a cena em que o povo pede sua crucificação e liberta Barrabás; e ainda, o flagelo e o início de sua trajetória carregando a cruz. Essas cenas aconteceram em três palcos instalados na Praça da Igreja Matriz, que esteve completamente lotada.

Após, foram encenadas as Estações, na subida até a Ermida Nossa Senhora de Fátima: as quedas de Jesus, seu encontro com Maria, com Verônica e com as Mulheres de Jerusalém que choram por Jesus. Jesus é ajudado por Simão Cirineu a carregar a cruz até sua crucificação. Neste momento, a Ermida também já estava repleta de fiéis aguardando a cena de Jesus com Maria, o diálogo com os dois ladrões que foram crucificados ao lado de Jesus, o golpe final e o seu sepultamento.

O Pároco Frei Jadir Segala, explica que é a Ressurreição de Cristo que dá novo significado à fé cristã. Na encenação do Sábado Santo, os soldados trazem Jesus e o colocam em seu túmulo. Há o diálogo entre Jesus e Maria Madalena, em que ela não o Reconhece num primeiro momento, mas depois, sai para anunciar que Jesus está vivo no meio de nós.

FOTO: Daniela Radavell/Prefeitura de Garibaldi
FOTO: Daniela Radavell/Prefeitura de Garibaldi

Ao término da missa, os fiéis foram presenteados com um momento de forte emoção, quando Jesus Ressuscitado apareceu no corredor da Igreja, cantando, ao vivo, “Um Certo Galileu”, de Padre Zezinho. Ao alcançar o altar, na terceira estrofe da canção, anjas uniram-se à Jesus, proporcionando uma cena que tocou os corações de todos. Neste clima, Frei Jadir realizou a Benção Final.

Conforme Marco Antonio Kroth, coordenador do Movimento Emaús, “Buscamos envolver todos os jovens que participam do Emaús, em especial os que ingressaram recentemente, para que tenham oportunidade de vivenciar este forte momento de espiritualidade que as Encenações nos proporcionam. Também inovamos com o reposicionamento do palco do Jardim do Getsêmani, onde acontece uma das cenas especiais na Sexta-feira Santa, que neste ano ficou em meio ao público.”

Este foi o décimo ano em que Jesus foi interpretado pelo Sociólogo e Teólogo Giovanni Mattiello, integrante do Movimento de Emaús, que fez o papel de 2001 a 2004, e desde 2013.

*Com informações da Prefeitura de Garibaldi