FOTO: Susepe/Divulgação

Da redação | Os laudos do Instituto Geral de Perícias confirmam que o incêndio na madrugada desta quinta-feira (5) no Presídio Estadual de Rio Grande, foi criminoso. A informação foi repassada pela Superintendência de Serviços Penitenciários.

O fogo teria começado, quando os presos emendaram dois fios elétricos, provocando um curto circuito. As chamas atingiram o alojamento 1 do anexo do presídio, onde 165 apenados cumprem pena no regime semiaberto.

Cinco detentos morreram no incêndio e outros sete ficaram feridos. Inicialmente, a informação era de nove feridos. Um agente penitenciário também precisou receber atendimento médico.

De acordo com a Susepe, o espaço não foi totalmente destruído, mas ainda há um cheiro forte de fumaça, o que impossibilita que os apenados fiquem no local. Os presos serão realocados dentro do próprio presídio.

A Susepe abriu investigação para avaliar todos os fatos que envolvem essa ocorrência e identificar os responsáveis. A Superintendência informou, também, que está realizando um levantamento de todo o regime semiaberto e orientando os servidores para adotarem atenção redobrada.