Foto: reprodução

Da redação | O delegado Caio Márcio Fernandes, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), concedeu nesta sexta-feira coletiva de imprensa, falando sobre os inquéritos remetidos ao Judiciário, envolvendo Juliano Vieira Pimentel de Souza, 31 anos, autor confesso da menina Naiara Soares Gomes, de 7 anos, em Caxias do Sul.

O criminoso poderá pegar até 63 anos de reclusão, caso seja condenado a pena máxima. Souza responde pelos crimes de estupro de vulnerável seguido de morte e ocultação de cadáver, no caso de Naiara. Pelo rapto de uma menina em outubro de 2017, Souza foi indiciado por dois estupros de vulnerável, pois teria abusado da vítima duas vezes no mesmo dia.

O inquérito será analisado pelo Ministério Público (MP).

Souza retornou para o presídio da Região Metropolitana na quinta-feira, onde está recolhido em razão de mandado de prisão temporária. Nesta semana, ele havia sido transferido para o Instituto Psiquiátrico Forense (IPF), para fins preventivos, solicitados pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).