FOTO: Polícia Federal/Divulgação

Da redação | A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de Caxias do Sul no início da manhã desta quarta-feira. O alvo era o computador do gerente regional Julio Cesar Goss, 51 anos. O servidor não apareceu para trabalhar nesta manhã. O investigado foi preso ainda em sua residência devido a um mandado de prisão temporária decretado pela 5ª Vara Federal de Caxias do Sul e foi afastado da função pública por 30 dias. Como o servidor era o único que atendia no setor de seguro-desemprego, o serviço está suspenso na agência da cidade.

Às 9h30min desta quarta-feira, o advogado Vinicius de Figueiredo aguardava na sede da PF de Caxias do Sul para o depoimento de Julio Cesar. O defensor confirmou que o cliente foi detido e só irá se manifestar após o acompanhamento. A corporação deverá se manifestar sobre a operação apenas no período da tarde. A reportagem entrou em contato com o Ministério do Trabalho e Emprego, que ainda não se manifestou sobre a operação.

O Rio Grande do Sul é um estado com 16,1 mil pescadores artesanais, segundo dados do Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), usado como base para pagamentos do seguro-defeso. O login de Julio Cesar aparece relacionado a 7 mil benefícios, o que equivale a quase metade dos segurados no estado. O valor efetivamente pago superou os R$ 13 milhões.

Julio Cesar virou réu na Justiça Federal do Amapá em dezembro do ano passado. Ele atuou no Estado até 2015. O servidor foi denunciado por crimes de estelionato e inserção de dados falsos em sistema de informações. A denúncia não o impediu de seguir operando um sistema para liberação de seguro-desemprego, agora em seu guichê na gerência de Caxias do Sul.

Apesar do login de Julio Cesar equivaler a metade dos segurados do Estado, não é em Caxias do Sul que estes segurados estão. Há apenas dois beneficiários que são da cidade, segundo dados do Portal da Transparência do governo federal.

Julio Cesar virou gerente em Caxias do Sul dois meses antes de virar réu na Justiça em Macapá.