Da redação | O ex-gerente regional do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de Caxias do Sul, Julio Cesar Goss, permanece preso. A Justiça havia expedido prisão temporária na quarta-feira da semana passada e, agora, a pedido da Polícia Federal, decretou prisão preventiva com prazo indeterminado.

Goss é suspeito de fraudar cadastro de sete mil pescadores para que haviam solicitado seguro-defeso. A ideia era desviar o valor do benefício. A investigação acredita que o esquema tenha movimentado cerca de R$ 20 milhões. A maior parte dos pescadores afetados são da região norte do país, sendo que 68% dos saques foram registrados no Amapá.

A investigação ainda suspeita que o ex-gerente seja apenas um dos integrantes do esquema criminoso. O HD do computador utilizado por Goss na agência passa por análise

O ex-gerente do MTE de Caxias nega as acusações. A defesa aguarda conclusão do inquérito para que o suspeito responda processo em liberdade.