FOTO: Vinicius Thormann/Prefeitura de Canoas

Da redação* | A Secretaria Municipal da Educação de Canoas teve de interditar a escola de educação infantil Julieta Balestro, no bairro Igara, na última quinta-feira (10). A ação é uma medida preventiva tomada pela prefeitura para preservar a integridade física de alunos e profissionais que ali atuam.

Laudo feito pelo Escritório de Engenharia de Canoas constatou comprometimentos na estrutura do prédio. A obra, inaugurada na gestão passada, iniciou a construção em 2013 e seguiu a metodologia do Projeto Padrão do Fundo Nacional da Educação (FNDE). O custo total da nova escola foi de R$ 1.511.310,41.

Três salas sofreram severas degradações no forro e um delas chegou a desabar. Segundo o documento elaborado por engenheiros do município, os outros cinco compartimentos, que recebem os alunos diariamente, também correm o risco de desabamento dos forros. O Escritório de Engenharia estava acompanhando a estrutura desde o ano passado, por ser feito com uma tecnologia construtiva nova usada pelo Governo Federal nos anos anteriores.

Nos últimos meses os problemas evoluíram de forma rápida. Preocupada com a segurança, a SME optou por remanejar os estudantes, que, já a partir da próxima semana, serão realocados em outras escolas municipais e em instituições privadas contratadas pela Prefeitura de Canoas.

Laudo aponta riscos

Durante a avaliação dos técnicos da prefeitura, foram constatadas infiltrações de umidade em algumas salas, nos forros e em bases das paredes. Com acúmulo de líquido, as estruturas estufam e degradam o material que compõe o prédio. A degradação das paredes e forros podem ser, segundo laudo do Escritório de Engenharia, em consequência da infiltração da água de chuva originária da cobertura. Análise demonstrou que as estruturas foram construídas com materiais sensíveis à umidade, incompatíveis com o clima do Rio Grande do Sul. O laudo, assinado por engenheiros do município, conclui dizendo que há “risco iminente de ruptura de placas do sistema construtivo utilizado na escola, que podem causar danos físicos e até risco de morte”.

Estudantes serão remanejados

Prezando pela segurança de profissionais e estudantes da EMEI Julieta Balestro, a Secretaria Municipal da Educação de Canoas irá realocar todos os alunos matriculados na instituição. Na terça-feira (15), eles serão convocados para escolher as novas escolas que os filhos irão frequentar.

Os alunos serão encaminhados às escolas da rede municipal de educação infantil ou para instituições contratadas pela Prefeitura de Canoas, já a partir do dia seguinte à convocação.

*Com informações da Prefeitura de Canoas