FOTO: JL Balestrin/GBC

Da redação | Na manhã desta sexta-feira (27), foi realizada em Canoas uma operação em um condomínio do Minha Casa Minha Vida (MQ4), no bairro Guajuviras. 73 policiais militares e 18 guardas municipais, além de efetivo da Polícia Civil, foram mobilizados, com dezenas de viaturas, inclusive helicóptero e blindado. Fiscais da Prefeitura também participaram da operação, totalizando mais de 100 agentes envolvidos.

O objetivo da força-tarefa era verificar se havia alguma irregularidade na ocupação das 176 residências que formam o conjunto habitacional.

Os fiscais foram imóvel por imóvel verificar se a pessoa que estava ocupando realmente foi contemplada com o programa. Alguns imóveis estavam sendo ocupados por pessoas que não eram as reais proprietárias. Recebemos informações de que principalmente em três casas os moradores teriam sido retirados por indivíduos envolvidos no tráfico. Mas, nessas casas, em averiguação, não foram constatadas essas situações – explica o tenente-coronel Valdeci Antunes dos Santos, comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar de Canoas.

Do total de casas, 12 estavam fechadas. Foram entregues notificações em nove residências em que os contemplados não foram localizados, com pedido para que as pessoas que estavam nos imóveis compareçam à Secretaria de Habitação para prestar esclarecimentos. Conforme contrato assinado com a Caixa Econômica Federal, os contemplados são proibidos de vender ou repassar o imóvel.

Um adolescente foi encontrado com uma pequena porção de entorpecentes e foi apresentado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Canoas.

WhatsApp Image 2018-07-27 at 09.11.41