FOTO: Camila Ferro/Simers

FOTO: Simers/Divulgação

Da redação* | Diante da paralisação de parte dos atendimentos médicos no Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG) e a sazonalidade climática, que afeta a saúde da população durante este período, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Canoas criou, nesta segunda-feira (20), a Comissão de Gestão de Crise da Superlotação dos Hospitais.

Reunindo profissionais de diversos núcleos de gestão e operação da saúde pública em Canoas, o colegiado, que é uma soma de esforços da gestão municipal, tem como objetivo encontrar soluções diante da alta procura por atendimentos em saúde, registrados nos últimos dias.

Fechada há 13 dias, por conta da paralisação de diversas equipes médicas, a emergência do HNSG, entidade privada, deixou de atender centenas de pacientes de baixa e média complexidade, o que fez com que houvesse grande aumento de atendimentos em outras unidades de saúde, como Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Hospital Universitário (HU) e Hospital de Pronto Socorro (HPS). As mudanças bruscas na temperatura e o constante frio que assola a região também contribuem para o aumento de procura por atendimentos.

Plano de Operação

Para manter a qualidade nos atendimento aos cidadãos canoenses, a SMS criou um plano operacional, já em vigor, que ocorre da seguinte forma:

– As equipes de saúde das UPAS foram reforçadas como mais sete médicos;

– HU passou por uma reestruturação no setor de internação e ampliou sua capacidade em 16 leitos;

– HPS implementou uma nova sala para atendimentos clínicos e ambulatoriais, que irá aumentar a capacidade de atendimento.

Para priorizar o atendimento qualificado aos cidadãos de Canoas, a SMS comunicou, durante a segunda-feira (20), a Secretaria Estadual da Saúde que deixará de realizar atendimentos de pacientes de outras cidades, suspendendo o Vaga Zero para Samu. A medida é para centralizar os esforços na proteção à saúde do moradores da cidade.

A Prefeitura de Canoas lamenta a crise financeira o HNSG, problema  histórico e já noticiado por vários veículos de imprensa e de conhecimento público, que tantos transtornos tem causados aos profissionais do hospital e aos pacientes. O Executivo Municipal segue sensível e monitorando a situação da instituição, a qual não tem nenhuma ingerência sobre a administração.

A Prefeitura de Canoas realiza o repasse, na ordem de R$ 6,5 milhões mensais, rigorosamente em dia para que os moradores de Canoas tenham atendimento através do Sistema Único de Saúde nas mais diferentes especialidades, inclusive procedimentos cirúrgicos.

A gestão municipal garante que não vai medir esforços para manter a qualidade e eficiência nos atendimentos em saúde aos cidadãos canoenses.