FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | Foi assinado na manhã desta sexta-feira (24) a parceria de interiorização de venezuelanos em Canoas e Esteio. Os ministros do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, e da Casa Civil, Eliseu Padilha, visitaram dois alojamentos.

IMG_8857

Em Canoas, 425 venezuelanos serão instalados em três pousadas no bairro São José. O prefeito Luiz Carlos Busato recebeu a informação na noite da última quinta-feira (23), quando o Governo Federal confirmou que irá encaminhar 646 imigrantes para o Rio Grande do Sul. “Prontamente aceitamos porque é uma questão humanitária”, enfatizou.

Conforme Busato, Canoas te condições de dar uma vida melhor aos venezuelanos. “Vamos investir no acolhimento desse pessoal com todos os serviços que a cidade oferece”, ressaltou.

Os venezuelanos devem ficar na cidade por, no mínimo, seis meses. Nesse meio tempo, o governo federal enviará R$ 1,5 milhão para as prefeituras que prestarão o suporte de assistência social, saúde e demais serviços. Na prática, serão recebidos R$ 400 por cada venezuelano.  As Forças Armadas vão cuidar da alimentação dos imigrantes.

IMG_8863
Um dos quartos onde os venezuelanos serão alocados. – FOTO: Jaime Zanatta/GBC

De acordo com o ministro Alberto Beltrame, o Ministério do Desenvolvimento Social, realizou um levantamento para mapear as cidades que tem condições de receber os imigrantes. “Existe a tradição tanto de Canoas, Esteio e do Rio Grande do Sul na recepção adequada dos imigrantes. Já foi assim com os haitianos, senegaleses e será assim também com os venezuelanos”, salientou.

Os venezuelanos devem chegar inicio de setembro.

Empregos

Busato e Beltrame ressaltaram que já existem empresas interessadas em disponibilizar vagas para os imigrantes. “O Sine e o Banco de Oportunidades tão se organizando”, afirmou o prefeito.

Hoje à tarde, Busato vai se reunir com os secretários municipais, para discutir como deve ser feito o acolhimento dos imigrantes nos serviços da cidade.