Polícia Civil/ Divulgação

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | Um laboratório de ecstasy localizado em Canoas foi desativado pela Polícia Civil, na tarde desta segunda-feira (03). No local, foram apreendidos comprimidos de ecstasy prontos e embalados para a comercialização, assim como grande quantidade de insumos variados para a produção da droga.

Segundo o delegado Joel Souza de Oliveira, a ação ocorreu após a prisão de uma pessoa investigada por tráfico de drogas. O trabalho de investigação realizado pela 1ª Delegacia de Polícia de São Leopoldo culminou com a descoberta de um laboratório de ecstasy localizado em Canoas.

O laboratório contava com tubos de ensaio, balão de destilação, coluna de fracionamento, destilador, entre outros objetos utilizados na produção da droga. “Estima-se que no laboratório eram produzidos entre 15 e 20 mil comprimidos de ecstasy mensalmente, e esta produção abastecia várias cidades do Estado. Nas raves (festas eletrônicas), o preço final de um só comprimido de ecstasy poderia chegar ao valor de R$ 50”, informou o delegado.

A ação teve ainda um desdobramento em São Leopoldo quando, em cumprimento a mandado de busca e apreensão, a companheira do investigado foi presa em flagrante. Com ela foram apreendidos ecstasy e outras drogas para comercialização, bem como dinheiro oriundo do tráfico.

Segundo o Delegado Oliveira, “atualmente o ecstasy é uma das drogas sintéticas mais populares entre os jovens. A descoberta de um laboratório afeta esta modalidade do tráfico de drogas na sua origem, e surte grande efeito na prevenção e no combate à criminalidade”.

*Com informações da Polícia Civil