Foto: PC

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | O inquérito sobre o estupro de uma adolescente de Cachoeirinha foi concluído pela Polícia Civil nesta sexta-feira e será encaminhado à Justiça. Um homem, motorista do aplicativo Uber, foi indiciado por estupro, cárcere privado, furto qualificado e falsidade de documento público. Ele está preso preventivamente desde 11 de setembro.

A vítima, de 17 anos, havia sido até uma casa noturna em Gravataí, na noite de 08 de julho. Na madrugada do dia seguinte, por volta de 02h, ela saiu da festa com amigas e acionaram o aplicativo Uber para que a adolescente fosse levada até a casa da avô, que fica em Cachoeirinha.

No entanto, durante o trajeto, o motorista desviou do caminho e levou a jovem para uma casa em Alvorada, onde ele estuprou a garota. Na sequência, o condutor a deixou no destino correto. Ele ainda roubou o celular dela.

Segundo apurou a Polícia Civil, o homem se dirigiu primeiramente à casa da avô da vítima, onde desligou o sistema do Uber para simular que a deixou no destino e tempo previstos. No entanto, o rastreamento particular do carro, que era alugado, registrou o trajeto total feito pelo indiciado.