Elaine e Evandro. Foto: Redes sociais/ Divulgação

Foto: Reprodução

Da redação | A Polícia Civil indiciou Evandro Ferreira, 42 anos, por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver, cometido contra a cunhada, Elaine Silva da Silva, 52, em Cachoeirinha. O acusado confessou o crime e está preso em Cruz Alta. Além disso, ele foi indiciado por falsidade ideológica e resistência à prisão.

Evandro foi ouvido na última segunda-feira, quando confessou ter matado a mulher na casa da família. A vítima foi encontrada morta no dia 13 de setembro, em um matagal no distrito de Morungava, em Gravataí. O carro usado no crime, um Siena vermelho, foi localizado próximo ao corpo. Evandro e Elaine foram considerados desaparecidos na manhã do dia 11.

Segundo o delegado Leonel Baldasso, da 1ª DP de Cachoeirinha, ele disse que mantinha um caso com a cunhada, com quem se desentendeu antes do crime. O motivo teria sido a negativa por parte da mulher de uma proposta feita por Evandro para que ambos fossem morar no interior.

Evandro teria ameaçado espalhar a história e matou por asfixia a cunhada. Na sequência, o homem teria colocado o corpo da mulher no porta-malas do Siena. Ele conduziu o carro até um motel, em Gravataí, onde tirou o corpo da cunhada do porta-malas, deu um banho, e o recolocou no compartimento.

Em Morungava, o autor confesso abandonou a vítima e o veículo no matagal. Depois, fugiu para Taquara e por definitivo Cruz Alta. Usando nome falso, se hospedou em um hotel na sexta-feira, dia 14. Evandro finalmente foi preso no dia seguinte.

Conforme Baldasso, ainda é aguardado o resultado dos laudos da perícia, inclusive a quebra do sigilo telefônico do acusado. O inquérito foi remetido nesta sexta-feira ao Ministério Público.