PF

Foto: Polícia Federal/ Divulgação

Da redação | A Justiça bloqueou nesta quarta-feira (10) bens de duas organizações criminosas, investigadas por envolvimento em contrabando de cigarros e sonegação de tributos. A medida envolveu 70 veículos e 14 imóveis e os grupos foram alvos da Polícia Federal, que prendeu 18 pessoas. Um deles foi preso em Canoas, enquanto que o restante foi capturado em Rio Grande.

Conforme a Polícia Federal, as quadrilhas atuam principalmente em Rio Grande, mas têm ramificações na Região Metropolitana de Porto Alegre eem Santa Catarina. A investigação apurou que ambas atuam de forma distinta. Enquanto uma contrabandeia cigarros no Paraguai, a outra comercializa produtos nacionais, que imitam os paraguaios, e que são vendidos abaixo do valor de mercado, o que caracteriza em sonegação de impostos.

A venda de produtos abaixo do preço causa prejuízos para a Receita Federal e à saúde pública, incentivando o tabagismo. A investigação começou em março deste ano, quando foi descoberto um depósito com quase 800 caixas de cigarro e quatro pessoas foram presas.