Foto: Jaime Zanatta/GBC

FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | Uma equipe de médicos especializada em gestão clínica e com foco no atendimento assistencial humanizado passará a atuar no Hospital Universitário e no Hospital de Pronto Socorro de Canoas, ambos administrados pelo Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (GAMP). O serviço a ser implantado é uma iniciativa do Grupo GAMP e inclui também as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Caçapava e Rio Branco e Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), visando exclusivamente o bem estar dos pacientes.

Segundo Michele Rosin, diretora-presidente do Grupo GAMP, o objetivo é aprimorar os processos que vinham sendo desenvolvidos. “Nosso intuito é melhorar a cada dia, buscando oferecer um serviço de excelência a quem nos procura e necessita, diariamente, dos nossos cuidados. Neste processo, o objetivo é implementar a mudança do modelo assistencial, que a partir de então será focado no atendimento humanizado, aliado à utilização de tecnologias baseadas na melhor evidência científica”, revela.

A equipe que atuará nos hospitais tem à frente o médico e empresário Ricardo Cabral Santiago. Ele explica de que forma este novo método de gestão será aplicado nas unidades de saúde. “Fizemos um minucioso planejamento, que prevê a implantação de um processo definitivo de triagem de Manchester (protocolo clínico que permite classificar a gravidade da situação de cada doente que recorre ao Serviço de Urgência), otimizando fluxos e profissionais, além de utilização de ferramenta para controle automatizado de pacientes, com metas e indicadores atualizados diariamente”, conta.

Santiago revela, também, que o trabalho será feito de forma a otimizar a realização de procedimentos, aumentando o número de cirurgias por sala e utilização de todas as salas disponíveis. “Vamos implantar protocolos clínicos, que possibilitarão otimizar a utilização de recursos tecnológicos e monitorar o desfecho dos pacientes atendidos no HU e no HPSC”, adianta.

Outra novidade é o monitoramento das internações por meio de prontuário eletrônico – o mesmo utilizado nas unidades ambulatoriais, evitando custos desnecessários na repetição de exames solicitados e/ou realizados anteriormente, além da redução significativa no tempo gasto com obrigações burocráticas.