Divulgação/ Polícia Civil

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | Foram identificados como Wesley Nunes Ferraz, 27 anos, e Jackson do Nascimento, 20, os suspeitos que foram presos por envolvimento na morte do motorista de aplicativo Paulo Junior da Costa, 22, que teve seu corpo encontrado na tarde desta sexta-feira (4) em Laguna (SC). Paulo foi morto com um tiro.

Ambos os suspeitos responderão inicialmente por homicídio e ocultação de cadáver. Um deles já tinha mandado de prisão temporária e auxiliou a polícia na localização. O cadáver estava parcialmente enterrado em uma área de difícil acesso, no bairro Barbacena, desde o dia 1º ou 2 de janeiro.

Paulo estava desaparecido desde 31 de dezembro. No entanto, segundo a Polícia Civil, ainda não foi possível definir a data da morte, que teria ocorrido em Laguna. O exame pericial deverá poderá estimar desde quando a vítima estava morta. Os suspeitos presos não deram esse detalhe. Os buscas contaram com trabalho das polícias Civil e Militar, além dos bombeiros.

Uma das prisões ocorreu em Orleans e a outra em local não revelado. Wesley é de Porto Alegre e e Jackson de Laguna. Segundo a delegada Roberta Bertoldo, da 2ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os dois teriam como objetivo se deslocar até Laguna, onde Jackson mora. Inicialmente, os investigadores trabalham com a hipótese de que o motorista tenha sido morto em Santa Catarina.

Em Orleans, onde um dos suspeitos foi capturado, foi encontrado na quinta-feira (3) o veículo da vítima, um Grand Siena vermelho.


Carro que era de Paulo foi usado pelos criminosos. Foto: divulgação/ PC
Carro que era de Paulo foi usado pelos criminosos. Foto: divulgação/ PC

Câmeras (veja abaixo) registraram o momento em que os criminosos utilizam o veículo da vítima. Segundo a Polícia Civil, a vítima já estava morta e com o seu corpo escondido.

Em nota, a Uber lamentou o fato:

Estamos profundamente entristecidos em saber que Paulo Junior da Costa foi vítima desse crime terrível. Nossa solidariedade e nossos sentimentos estão com a família nesse momento de enorme tristeza e dor. A Uber segue à disposição das autoridades para colaborar com as investigações, fornecendo todos os dados necessários, na forma da lei, e espera que os responsáveis pelo crime sejam punidos.

Antes do desaparecimento, familiares acharam estranho uma mensagem que chegou ao celular da namorada da vítima, Lavínia Gomes, 19 anos. No texto, o motorista avisava que faria uma corrida até Pelotas, município que fica mais de 200 quilômetros de Guaíba, onde morava com os pais.

Último contato

Flávio Paulo da Costa, pai do motorista, foi o último a conversar com o filho. Por telefone, por volta das 20h30, Paulo disse que não iria demorar e que levaria o carvão para o churrasco da virada do ano.

Horas antes, Paulo também conversou com a namorada pelo WhatsApp. Para ela, comentou que estaria fazendo uma corrida para Pelotas, que fica distante cerca de 260 quilômetros de Guaíba. De acordo com a delegada Roberta Bertoldo, responsável pelas investigações, em nenhum momento o motorista foi em direção a cidade.

Porém, o que chamou a atenção da família, foram os diversos erros ortográficos. “Logo a gente percebeu que havia algo errado com ele”, comentou a mãe, Neiva Amador.

A última conversa entre Paulo e a namorada foi pelo whatsapp

A última conversa entre Paulo e a namorada foi pelo WhatsApp.