Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

Da redação | A Polícia Civil segue investigando o caso que envolve a morte do ex-prefeito de Estância Velha, Elivir Desiam de 57 anos, e de sua namorada Lúcia Bialoso Valença de 35, no dia 29 de dezembro. Até o momento, foram descartadas as hipóteses de assalto ou crime patrimonial.

Casa onde Elivir e Lúcia moravam no Centro de Estância Velha (Foto: Jaime Zanatta/GBC)

De acordo com o delegado Fernando Branco, responsável pelas investigações, a suspeita de crime política foi afastada. “Estamos indo pela linha de feminicídio seguido de suicídio”, comentou.

Elivir foi encontrado horas depois do crime em Imbe, no Litoral Norte. O carro utilizado para ir até a cidade foi encontrado no mesmo dia em que o óbito dos dois foi registrado. Conforme o delegado, o automóvel vai passar por perícia nos próximos dias.

A ex-mulher de Desiam também prestou depoimento à polícia. No sábado, foi ela que ligou e denunciou o crime. Na ocasião, ela relatou que o político tinha ido até sua casa em Imbé para entregar documentos e na saída disse que havia matado Lúcia. “Para ela, ele ainda disse que ia dar um jeito na vida”, ressaltou a delegada Raquel Vasconcellos Dornelles que atendeu a ocorrência no Litoral Norte.