PC

Foto: divulgação/ Polícia Civil

Da redação | A Polícia Civil de Bagé desencadeou na manhã desta quinta-feira (25) a segunda fase da Operação Patrulha. As ações foram realizadas na Região Metropolitana de Porto Alegre. Foram duas pessoas presas em flagrante, quatro mercados fechados e aproximadamente 300 quilos de carne sem condições sanitárias para venda apreendidos.

As investigações iniciaram em maio do ano passado, sendo que a primeira fase da operação foi desencadeada em novembro. Na ocasião, foram cumpridas mais de 100 ordens judiciais, entre elas 24 prisões preventivas e diversos mandados de busca e apreensão. Também foram presas quatro pessoas em flagrante e apreendidos nove veículos utilizados pelos investigados, maquinário de açougues e mercados e aproximadamente uma tonelada de carne sem procedência e imprópria para o consumo humano em estabelecimentos comerciais dos receptadores do gado furtado.

Segundo o delegado André Mendes, foi a primeira vez que mercados tiveram suas atividades suspensas judicialmente por conta de envolvimento no abigeato.

A representação foi realizada após constatação que a carne dos animais furtados estava sendo disponibilizada a venda, fato constatado na primeira fase da operação, onde grande quantidade de carne sem procedência foi apreendida.

Delegado André Mendes

De acordo com o delegado Cristiano Ritta, o grupo criminoso investigado foi responsável pelo furto de mais de um 1 milhão de reais em gado bovino e maquinário agrícola apenas no ano de 2018, tendo realizado ataques em municípios como:

– Sapucaia do Sul
– Canoas
– Esteio
– Santo Antônio da Patrulha
– Capão da Canoa
– Novo Hamburgo
– São Leopoldo
– Gravataí
– Montenegro
– Maquiné
– Cachoeirinha
– Eldorado do Sul
– Tapes
– Camaquã
– Sentinela do Sul
– Glorinha
– Picada Café
– Arroio dos Ratos
– Encruzilhada do Sul
– Campo Bom

Já são mais de vinte inquéritos policiais instaurados e com autoria identificada.