Foto: Rodrigo Ziebell / SSP

Foto: Rodrigo Ziebell/ SSP

SSP/RS | A 78ª Operação Desmanche resultou no recolhimento de cerca de 40 toneladas de sucata automotiva nesta quarta-feira (20) em Gravataí, na Região Metropolitana. O dono do estabelecimento vistoriado foi preso por clonagem de veículos e furto de energia.

É a quinta vez que a força-tarefa interdita estabelecimentos em Gravataí. Somente neste município já foram interditados nove locais, apreendidas mais de 200 toneladas de sucata e presas seis pessoas.

O crime de clonagem foi registrado pela primeira vez. Um veículo encontrado no local estava em situação de furto e constava com outra placa que não a original, caracterizando a clonagem.

O diretor do Departamento de Inteligência em Segurança Pública (Disp), delegado Emerson Wendt, atribuiu o flagrante desse delito ao trabalho da inteligência no monitoramento e rastreio de organizações criminosas especializadas em furto e roubo de veículos.

“Temos selecionado vários locais, denunciados pelos mais variados meios, e trabalhado de maneira integrada com as instituições vinculadas, possibilitando que possamos recolher material irregular/ilegal e também interditar estabelecimentos que estão em desacordo com a lei”, afirmou Wendt.

A coordenadora da força-tarefa, capitã Marta França Moreira, disse que a quinta vistoria em Gravataí englobou os esforços conjuntos para coibir os crimes de furto e roubo de veículos. “Nessas cinco vistorias fechamos locais que já haviam sido interditados e acabaram sendo reabertos, por isso a necessidade de realizar novas diligências”, destacou.

Lei dos Desmanches

A Lei Federal 12.977 (Lei dos Desmanches) entrou em vigor em 20 de agosto de 2015 para combater a recepção de veículos roubados. Desde essa data, somente podem atuar no comércio de peças usadas empresas registradas no Detran. Essas empresas devem seguir uma série de requisitos e incluir cada uma das peças à venda no sistema informatizado, vinculando-as à nota fiscal e à placa do veículo de origem.

Histórico de atuação

Reunião de esforços da Polícia Civil (PC), da Brigada Militar (BM), do Instituto-Geral de Perícias (IGP) e do Detran RS a Operação Desmanche tem o viés de aprimorar o combate à receptação e o desmanche de veículos roubados, impedindo que estabelecimentos irregulares continuem em funcionamento.

Desde a primeira edição, em fevereiro de 2016, a ação já interditou 123 locais, apreendeu 6 mil toneladas de sucata automotiva e prendeu cerca de 60 pessoas. As peças apreendidas são encaminhadas à Gerdau, que, a partir da parceria com o Estado, as transforma em material de trabalho, dando novo destino às peças recicladas.

A força-tarefa já passou por cerca de 40 municípios: Portão, Passa Sete, Candelária, Curumim, Soledade, Santa Maria, Carlos Barbosa, Sapiranga, Eldorado do Sul, Erechim, Guaíba, Porto Alegre, Cachoeirinha, Canela, Gravataí, Viamão, Sapucaia do Sul, Canoas, Novo Hamburgo, Montenegro, Pelotas, São Sebastião do Caí, Estrela, Parobé, Esteio, Alvorada, Camaquã, Caxias do Sul, Arroio dos Ratos, Capão da Canoa, Torres, São Leopoldo, Almirante Tamandaré do Sul, Rio Pardo, Sarandi, Estância Velha, Vera Cruz, Pantano Grande, Tapejara e Aceguá.