Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | Policiais civis desencadearam na manhã desta quinta-feira a Operação Corpore Sano, que apura supostos desvios no Fundo de Assistência à Saúde do Servidor Municipal (Fassem) de Canoas. As irregularidades teriam sido cometidas por uma clínica, especializada em fisioterapia e fonoaudiologia.

Conforme a Polícia Civil, a clínica é investigada por encaminhar pacientes para serviços, como pilates e estética, que não eram cobertos pelo plano de assistência do município, cujo prejuízo financeiro ficava para os cofres públicos.

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Os agentes da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária (Deat) cumprem quatro mandados de busca e apreensão com o objetivo de comprovar os desvios.

As ordens judiciais são cumpridas no Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores Públicos de Canoas (CanoasPrev) e nas resdiências da dona da clínica, em Canoas, e de um médico na Capital.

Em nota, “a prefeitura de Canoas, por meio do Canoasprev, informou ao Ministério Público, ainda em 2017, de suspeitas de irregularidades por parte dessa clínica, que foi credenciada ao Fassem no final de 2016. Assim que foram identificados os indícios de irregularidades, o Canoasprev cancelou o contrato e informou ao MP da situação”.

As suspeitas surgiram a partir do aumento de pagamentos por serviços que seriam prestados supostamente apenas pela clínica credenciada. O estabelecimento cobrava a mais para também pagar pelos serviços não cobertos pelo plano assistencial para os quais encaminhava os beneficiários do plano e seus dependentes.