Foto: Jaime Zanatta/GBC

Foto: Jaime Zanatta/ GBC

Da redação | A Trensurb informou nesta quarta-feira (27) que o valor da tarifa unitária do metrô passa a custar R$ 4,20 a partir de 13 de março. Conforme a empresa, essa é a última parcela da recomposição tarifária, que busca equilíbrio financeiro da concessionária.

A decisão foi aprovada pelo Conselho de Administração da Trensurb, conforme a empresa, “após um período de dez anos sem alteração no valor da passagem, de 5 de janeiro de 2008 a 2 de fevereiro de 2018”.

Segundo a Trensurb, a empresa contará com apoio do governo federal para aplicar investimentos e melhorias nos serviços.

Entre 2008 e 2018, a Trensurb ampliou a rede ferroviária em 11 quilômetros e implantou cinco novas estações – uma em São Leopoldo e quatro em Novo Hamburgo –, aumentou a frota de trens e passou a operar com uma grade de 24 trens nos horários de pico – ao invés de 17 como era anteriormente. Houve, por consequência, um aumento no consumo de energia elétrica e no efetivo de pessoal.

De acordo com a concessionária, a alteração no valor da tarifa foi calculada “a partir da evolução dos custos operacionais, levando em consideração a necessidade de aproximar a Trensurb de uma situação de equilíbrio – conforme prevê a Política Nacional de Mobilidade Urbana”.

Melhorias nos trens

Com a nova tarifa, o governo federal firma o compromisso de repassar o equivalente à receita adicional para que seja aplicado em projetos como a modernização da frota original da empresa, incluindo a climatização dos trens série 100.

Entre os projetos a serem contemplados também estão a recuperação e melhoria dos sistemas operacionais, como: a via permanente, a rede aérea de energia, a sinalização de segurança e o abastecimento de energia elétrica, além da acessibilidade das estações, de modo a incrementar a qualidade dos serviços e a confiabilidade dos sistemas – com uma consequente redução no número de paralisações por motivos técnicos.

No bolso

Mesmo com o a alteração do preço para R$ 4,20, a tarifa da Trensurb segue como a mais econômica entre os meios de transporte metropolitanos. O valor da passagem do transporte rodoviário dos municípios do eixo norte da Região Metropolitana até Porto Alegre é de R$ 5,35. Entre os próprios municípios, excluindo-se a capital, é de R$ 4,50. Ou seja, o metrô continua sendo a alternativa mais barata e sustentável para se transitar entre os seis municípios atendidos: Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo.

Além disso, um dos benefícios diretos do uso do metrô está na redução do número de viagens de ônibus, em aproximadamente 65 mil por mês – reduzindo assim a poluição gerada pela frota de ônibus, o número de acidentes de trânsito e o congestionamento na BR-116, contribuindo na melhoria da qualidade de vida da população.