Foto: Ulbra/ Divulgação

Foto: Ulbra/Divulgação

Da redação | A Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) pediu recuperação judicial na última segunda-feira (6). A instituição enfrenta uma crise desde 2002, quando o endividamento começou a crescer de forma acelerada.

A dívida a ser negociada é de R$ 2,4 bilhões. O valor engloba débitos financeiros e com fornecedores, além de R$ 315 milhões de créditos trabalhistas. O endividamento total da Ulbra é de R$ 8,2 bilhões. O valor inclui R$ 5,8 bilhões em dívidas tributárias, que já foram negociadas e estão sendo pagas parceladamente. Elas decorrem do período em que a instituição perdeu a imunidade tributária.

Conforme o reitor da universidade, Ricardo Willy Rieth, a medida não interfere na rotina da universidade ou nas atividades dos colégios e escolas. “O calendário de aulas e demais atividades seguem normalmente. É uma crise financeira e não acadêmica”, reforçou.

A intenção da Aelbra, entidade que mantém a universidade, é normalizar o pagamento dos professores e dos funcionários do administrativo com a aprovação da recuperação judicial. Atualmente, falta 30% para finalizar o pagamento da folha de março. A Ulbra tem cerca de 4 mil funcionários.

Leilões

Foram feitos leilões de duas unidades em Rondônia para pagar dívidas trabalhistas da época em que a instituição mantinha hospitais, planos de saúde e até empreendimentos imobiliários. Conforme a mantenedora, a decisão de pedir recuperação foi motivada pelo receio de que a situação atingisse outras operações.

Atrasos nos repasses

A Ulbra está esperando receber cerca de R$ 30 milhões de repasses dos recursos do Financiamento Estudantil (Fies) referentes a 2018. Conforme a reitoria, o valor compromete o pagamento dos funcionários.

Como começou a crise?

De acordo com a administração da Ulbra, os problemas começaram com investimentos superiores a R$ 1 bilhão que não foram feitos em educação e acabaram não gerando retorno. As dívidas ultrapassaram, por exemplo, a capacidade de pagamento que a universidade tinha.

Em um dos capítulos da crise, está o afastamento do então reitor, em 2008, Ruben Becker, que em 2018 foi condenado por lavagem de dinheiro.

Serviços oferecidos pela Ulbra na educação

A Rede Ulbra de Educação tem 42.813 alunos no Brasil, divididos nas categorias de Ensino Superior, Educação a Distância e Educação Básica. No Rio Grande do Sul, são 25.068 alunos.

São oferecidos 92 cursos de Ensino Superior. No Sul, há nove campi, em Cachoeira do Sul, Canoas, Carazinho, Gravataí, Guaíba, Porto Alegre, Santa Maria, São Jerônimo e Torres. As outras operações ficam em Itumbiara (GO), Manaus (AM), Palmas (TO) e Santarém (PA).

Na Educação Básica, são seis colégios e três escolas em municípios do Rio Grande do Sul. No Norte e no Centro-Oeste do país, há outros seis colégios da Rede Ulbra.