Foto: Alex Schneider/ GBC

Foto: Alex Schneider/ GBC/ Especial

Da redação | Canoas, com seus mais de 340 mil habitantes (IBGE, 2018), obteve crescimento no número de empregos formais de carteira assinada em junho. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Governo Federal, o município, que ostenta a fama de ser um dos que mais emprega na região, contabilizou saldo de 100 vagas, sendo 2.624 admissões e 2.524 demissões.

O cenário é melhor se comparado com maio, quando foram fechadas 136 oportunidades de trabalho. Entre os setores que mais contribuíram para o cenário positivo, estão a Indústria de Transformação, com 149 vagas, e o setor de Serviços, com 93. Na contramão, estão o Comércio, com -11, e a Construção Civil, com -35.

No ano, o saldo de Canoas é negativo, com 131 demissões. Nos últimos doze meses, o saldo é de -1256.

Os números de Canoas

Indústria de Transformação: 149
Serviços: 93
Serviços Industriais de Utilidade Pública: 4
Administração Direta e Autárquica: 0
Extrativa Mineral: 0
Agropecuária, Extração Vegetal, Caça e Pesca: 0
Construção Civil: -35
Comércio: -111

No Brasil

Em junho, o Brasil gerou mais de 48 mil empregos com carteira assinada. Foram mais de 1 milhão 248 mil contratações, contra aproximadamente 1 milhão e 199 mil demissões em todo o país.

No período de janeiro a junho, foram mais de 408 mil novas vagas formais de trabalho. No período de junho do ano passado até junho deste ano, foram criados cerca 524 mil novos postos formais.

Os setores que mais contrataram em junho deste ano foram serviços, agropecuária e construção civil. Já o comércio e a Indústria de Transformação demitiram cerca de 14 mil pessoas.

A única região que demitiu mais que contratou, no mês passado, foi a região Sul, com aproximadamente 2 mil e 700 desligamentos. O estado do Rio Grande do Sul foi o que mais demitiu, com saldo de -3.812.

Já a região Sudeste foi a que mais criou postos de trabalho: 31 mil. São Paulo foi o grande destaque com a criação de 18 mil novas vagas com carteira assinada.

O secretário de trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, afirmou que os saques FGTS deverão ajudar na criação de vagas de emprego.

Houve a criação de mais de 10 mil vagas formais de trabalho intermitente em junho, aquele em que a pessoa exerce suas atividades em dias e horários alternados. Um total de 417 empregados celebrou mais de um contrato de trabalho.

No mês passado, ocorreram cerca de 18 mil desligamentos de trabalhadores por acordo entre as partes.