Foto: Redes Sociais/Reprodução

Da redação | Foi confirmada pela Polícia Civil na última quinta-feira (1°) a morte encefálica da inspetora de polícia que foi baleada na BR-116, em Pelotas, no Sul do Estado. A morte foi decretada horas depois do crime.

Segundo a polícia, Cristina Gonçalves Lucas de 38 anos, o marido dela, soldado do 6º BMP Marcio Lucas Severo, os filhos de 1 e 9 anos, e a mãe da policial, seguiam de Rio Grande para Porto Alegre, quando foram abordados, por volta da 1h. O carro em que eles estavam e que era conduzido pelo soldado foi fechado por um Fiesta de cor prata, com placas de Canguçu. O veículo consta como roubado no sistema policial.

Um homem teria saído do veículo e disparado contra o carro dos policiais. Cristina foi atingida na cabeça. Os parentes dela não se feriram. A policial civil estava saindo de férias com a família e, conforme a polícia, foi vítima de roubo. A família dela é de Rio Grande. O casal iria pegar um voo na Capital com destino a Goiás.

De acordo com a polícia, a família ainda está muito abalada. Parentes foram ouvidos informalmente sobre o ocorrido. O caso é tratado como latrocínio. Segundo o delegado que investiga o caso, Márcio Stefens, a polícia já identificou um suspeito.

Nota da Polícia Civil na íntegra

“A Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul manifesta seu mais profundo pesar pelo falecimento da inspetora de polícia Cristina Gonçalves Lucas.

Cristina teve morte encefálica decretada no início desta tarde, 01 de agosto de 2019, em decorrência de disparo de arma de fogo. A policial civil estava saindo de férias com a família, quando foi vítima de roubo, ocorrido na madrugada desta quinta-feira, em Pelotas.

Cristina, 38 anos, formou-se na Academia de Polícia Civil em fevereiro de 2017 e estava lotada na Delegacia de Polícia de São José do Norte.

A Polícia Civil se solidariza com a dor dos familiares, policiais e amigos, diante desta perda irreparável.

Por fim, a Polícia Civil agradece o apoio que está recebendo das demais instituições de segurança pública na busca dos deliquentes e informa que não medirá esforços para identificar e prender os autores do crime”.

Nadine Farias Tagliari Anflor

Chefe de Polícia