Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Foto: Polícia Civil/ divulgação

Da redação | Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (09), a Brigada Militar e a Polícia Civil detalharam os desdobramentos do ataque a tiros no campo de futebol do Grêmio Esportivo Três Estrelas, em Gravataí, no dia 21 de julho. Foram dois mortos e oito feridos. Uma das vítimas não tinha nada a ver com o crime. Maiara Emili Silveira da Silva, 20 anos, morreu após ser socorrida ao hospital. Ela estava assistindo ao jogo de futebol no local.

Maiara Emili Silveira da Silva

Porém, embora não traga de volta a vida de uma jovem que havia se formado recentemente no curso de bombeira civil, os PMs do 26º Batalhão de Polícia Militar (26º BPM) deram resposta ao mundo do crime, com a prisão, na noite passada, de um homem de 28 anos, considerado suspeito do atentado. Conforme o Batalhão, o suspeito foi preso em casa na rua Edgar Bins, na Vila da Paz, em Cachoeirinha. Ele tinha passagens por homicídio acusado quando adolescente, por tráfico, porte de arma e roubo.

O delegado Eduardo Amaral, da Delegacia de Homicídios, afirmou que os alvos eram dois homens que participavam de uma confraternização após a partida de futebol. O preso na noite passada havia chegado ao local com um revólver .38 e feito o primeiro disparo. O segundo atirador ingressou logo depois atirando várias vezes, utilizando uma pistola 9 milímetros. De acordo com o delegado, os autores chegaram a pé ao local.

Na manhã seguinte ao tiroteio, a polícia localizou o corpo de Adelio Júnior Souza Antunes, 28, nas proximidades do campo. Alvo dos atiradores, ele foi baleado, saiu do local em fuga, mas não resistiu aos ferimentos. O outro alvo também foi atingido, mas foi hospitalizado e liberado.

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

A motivação para o crime segue sendo investigada. A suspeita é a disputa entre facções criminosas.