Foto: Prefeitura de Cachoeirinha/Divulgação

Da redação | A Prefeitura de Cachoeirinha está trabalhando para regularizar a coleta automatizada de lixo. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (11).

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

No município, existem dois tipos de coleta. São eles: a automatizada, realizada nos contêineres espalhados pela cidade, e a manual, que está funcionando normalmente.

Força tarefa

Conforme o Executivo Municipal, caminhões próprios com apoio das equipes da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos estão sendo utilizados para reforçar o recolhimento do lixo. A previsão, é que até o final da tarde, o excesso de resíduos seja coletado.

Segundo o prefeito Miki Breier, a empresa que coletava o lixo de forma automatizada está sendo substituída. “Temos alguns problemas no período de transição. Em breve tudo será normalizado. Não faltarão punições, nas formas da lei, para a empresa que não está realizando o serviço”, comentou.

Nova empresa

A Prefeitura está contratando uma nova empresa para a ,coleta automatizada. A EPPO vai até o dia 28 de setembro, gradualmente, substituir os contêineres da atual empresa, a Conesul. No total, serão mil novos contêineres, com capacidade de mil litros. “Destes, 250 já estão em Cachoeirinha e conforme a antiga fornecedora for retirando os equipamentos, os novos serão repostos”, aponta o titular da pasta, Brinaldo Mesquita.

O município optou pela rescisão do contrato com a Conesul visando à redução de custo e a melhoria do serviço. A empresa, no entanto, deve garantir a prestação dos serviços, conforme o contrato, até o final do mês. “O município já está tomando as medidas legais cabíveis pelo descumprimento por parte da empresa e pelo prejuízo causado a nossa cidade”, esclarece o secretário de Governança e Gestão, Gilson Stuart.

Prefeitura vai economizar com nova empresa

O contrato entre a nova empresa e o Executivo Municipal é emergencial e deve durar 180 dias. Nele, a prefeitura vai desembolsar R$ 597 mil, considerando o volume médio de lixo recolhido. Com a Conesul, era preciso desembolsar R$ 697 pelo mesmo serviço.

O pagamento à Conesul era feito pela disponibilidade de contêineres e não pela quantidade de peso dentro deles. Porém, foi apontado que este não era o melhor método e sim pelo peso, que é a técnica utilizada pela EPPO, ou seja, o pagamento será realizado através da pesagem, pelo valor da tonelada.

Problema é só nos contêineres

A coleta manual é realizada pela empresa Urban e segue regularmente nos Bairros Campo Belo, Sítio Ipiranga, Betânia, Residencial do Lago, Túnel Verde, Chácara das Rosas, Canarinho, Granja Esperança, Vila Bela, Jardim do Bosque, Moradas do Bosque, Vila Anair e em parte da Nova Cachoeirinha, Vista Alegre e Assunção. A empresa também foi contratada de forma emergencial, durante 180 dias, com um valor mensal de pouco mais de R$ 469 mil. O contrato foi assinado em 28 de agosto.

Dentro do prazo de 180 dias, o município vai elaborar novos editais de licitação para a coleta do lixo e os valores serão balizados pelos contratos emergenciais. Os extratos dos contratos de prestação de serviços da Prefeitura com a EPPO e a Urban estão publicados no Diário Oficial do Município de hoje, dia 11 de setembro de 2019.