Foto: Sargento Bianca Viol/CECOMSAER

Pelas redes sociais moradores de Canoas e cidades vizinhas, como Cachoeirinha e Esteio, estão fazendo a seguinte pergunta: porque tem tanto avião militar voando? A reposta é simples. Está acontecendo desde a última segunda-feira (18) o Exercício Operacional Tínia na Ala 3 organizado pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Mais de 600 militares do efetivo de duas dezenas de Unidades distribuídas por todo o Brasil, simulando um ambiente de guerra convencional – quando há um conflito entre forças armadas de dois países ou alianças de Nações. Mais de 50 aeronaves estão envolvidas no Exercício.

O Diretor do EXOP Tinia e Comandante da Ala 3, Brigadeiro do Ar Raimundo Nogueira Lopes Neto, falou sobre o objetivo e a importância do treinamento. “O objetivo desse Exercício é treinar guerra convencional, que é tradicional, no entanto, desafiador, porque cada vez mais nos exige capacidades diferenciadas. Estamos aqui executando um treinamento de grande porte, adestrando todas as nossas capacidades”, disse.

O EXOP Tinia terá a participação das Aviações de Caça, Reconhecimento, Asas Rotativas e Transporte, além do envolvimento do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC) e dos Grupos de Defesa Antiaérea (GDAAE). Entre as aeronaves empregadas, estão os caças F-5M, A-1 e A-29; a aeronave-radar E-99; as aeronaves de reconhecimento R-99, R-35AM e R-35A; as aeronaves de transporte C-130 Hércules e C-105 Amazonas; e o helicóptero H-60L.

O Comando de Preparo (COMPREP) está à frente da atividade, que segue a proposta de adequar os treinamentos ao perfil comumente encontrado no cenário internacional. De acordo com o Coordenador do Exercício no COMPREP, Coronel Aviador Gustavo Pestana Garcez, uma das vantagens do EXOP Tinia é a capacidade de treinar a coordenação das manobras entre as duas localidades. “Nessa edição, nós temos a Ala 3 e a Ala 4, em Canoas e Santa Maria, compondo uma coalizão, realizando missões aéreas compostas com comando e controle por videoconferência, produzindo um planejamento único para o atendimento dos objetivos propostos”, afirma o Coronel Pestana.

Ao longo dos 16 dias do Exercício, serão praticadas diversas ações: Escolta, Reconhecimento Aéreo, Controle e Alarme em Voo, Ataque, Varredura, Reabastecimento em Voo, Posto de Comunicação no Ar, Defesa Aérea, Defesa Antiaérea, Transporte Aéreo Logístico, Assalto Aeroterrestre e Busca e Salvamento em Combate, dentre outras.

O EXOP segue até o dia 3 de dezembro. As atividades também acontecem na Ala 4, em Santa Maria.